+

Histórico

 

As Equipes de Jovens de Nossa Senhora existem há mais de 30 anos e estão presentes em vários países. O Movimento das EJNS começou no Encontro Internacional das ENS em Roma, em 1976, quando a jovem Christine d’Amonville – filha do casal francês ERI da época – decidiu organizar, paralelamente ao encontro, uma reunião para os filhos dos casais. Para isso, contou com a colaboração do Padre Guy Thomazeau.As Equipes de Jovens de Nossa Senhora existem há mais de 30 anos e estão presentes em vários países. O Movimento das EJNS começou no Encontro Internacional das ENS em Roma, em 1976, quando a jovem Christine d’Amonville – filha do casal francês ERI da época – decidiu organizar, paralelamente ao encontro, uma reunião para os filhos dos casais. Para isso, contou com a colaboração do Padre Guy Thomazeau.

Os jovens desse primeiro encontro começaram a divulgar em seus países a rica experiência que vivenciaram, e surgiu assim, o projeto de criar equipes juvenis inspiradas na espiritualidade das ENS. O Movimento começou a se tornar realidade em Set/77, em Gap (França), quando Christine convocou novamente jovens de vários países europeus para seu 2º Encontro Internacional e, neste evento, foi instituído o primeiro Secretariado Internacional com sede na França, que definiu posteriormente sua estrutura, criando documentos e funções.
No Brasil, embora já houvesse as chamadas “equipinhas” coordenadas pelos próprios casais desde 1981, as EJNS começaram a tomar corpo em 1989, quando esteve aqui a jovem Maria Madalena Fontoura, Responsável Nacional de Portugal, visitando algumas cidades onde as mesmas funcionavam como, Belém, Juiz de Fora, Ribeirão Preto e Rio de Janeiro. Nestas visitas ela apresenta a Carta Internacional recém editada, enfatizando que as EJNS são coordenadas pelos jovens, tendo como suporte um casal acompanhador e um conselheiro espiritual.

De posse da documentação deixada por Maria Fontoura, Catherine Elisabeth Nadas (Cathy) – que trabalhava no Secretariado das ENS – propôs-se a traduzir o material, a fim de que os interessados pudessem ter acesso ao mesmo. Também entrou em contato com o então Responsável Internacional das EJNS, o francês Thibaut Roussel, que a convidou para ir a Portugal participar do 13º Encontro Internacional dos jovens em Fátima, em Jul/89.
Nesse encontro, Thibaut, praticamente convoca Cathy para ser a primeira Responsável Nacional, mesmo tendo ela já 29 anos. Cathy aceita e constitui uma equipe nacional, com a presença do Frei Barruel, do casal Therezinha e Ronaldo Wimmer e outros jovens. No final de 1989, forma duas equipes no Estado de São Paulo e ela própria começa sua pilotagem. (*)
O marco inicial do Movimento no Brasil é considerado, porém, como sendo o 1º Encontro Nacional das EJNS realizado em Aparecida-SP, entre os dias 25 e 28 de janeiro de 1990, com o auxílio das EJNS de Portugal, onde participaram cerca de noventa pessoas. Neste encontro definiu-se a formação e o plano de pilotagem para os cinco primeiros setores nacionais: ABC (incluindo São Paulo), Juiz de Fora (incluindo Brasília), Belém, Jacareí e Rio Grande do Sul. No final de 1990, depois da Reunião da Equipe de Animação Internacional (EAI) na França, foi eleita para suceder Cathy a nova Responsável Nacional, Janete Serrato do ABC.
Como a formação das EJNS inspirou-se nas ENS, grande parte dos jovens é ainda composta por filhos de equipistas e os laços entre os dois Movimentos sempre são bem fortes nas cidades em que ambos existem. Com certeza, o que mantém esta união é o amor a Nossa Senhora, o desejo de colocar-se sob o seu amparo e exemplo no caminho que leva a Cristo, além do carinho e apoio oferecido pelos casais, muitos dos quais também optam por ser acompanhadores de uma equipe de base ou de Setor.
Vários eventos já foram promovidos pelas EJNS-Brasil, sendo que o mais importante foi sediar o Encontro Internacional em Brasília em Jul/03 para 170 pessoas. A participação nos encontros nacionais e internacionais leva a experimentarmos o Amor e a Espiritualidade planejados por Deus. Presenciamos um “Pentecostes’ durante cada encontro, onde vários jovens, de diferentes locais, línguas e culturas, traduzem em momentos de espiritualidade suas partilhas de vida. Essas experiências fazem com que o equipista consiga entender que fazemos parte de um grande Movimento que, sob a ação do Espírito Santo e do verdadeiro amor de Maria, buscam um caminho para a Santidade.
Até hoje, os seguintes jovens equipistas já foram responsáveis nacionais no Brasil:

Período Nome Setor
1989 – 1990 Catherine Elisabeth Nadas (Cathy) São Paulo
1991 Janete Serrato ABC
1992 – 1994 Cristiana Almeida de Menezes Recife
1994 – 1996 Fernanda Júlio Barbosa Juiz de Fora
1996 – 1998 Érica Fukakusa Lopes Santos
1998 Débora Caldini Sorocaba
1999 – 2001 Anclar Patric Crippa Mendes (Cal) Sorocaba
2001 – 2003 Jaciara da Silva Dutra Brasília
2003 – 2005 Marisa Fonseca Rio de Janeiro
2005 – 2007 Ediluci Cristiane Silva Pernambuco
2007 – 2009 Lisian Camila Vasconcelos Brasília
2009 – 2011 Renato Rocha Vinhedo
2011 – 2013 José Carlos Júnior Rio de Janeiro
2013 – 2015 Melca Pontes João Pessoa
2015 – 2017 Lucas Guilherme P. Godoi São José dos Campos
2017 – 2018* Giovana Brito, Tayane Mendonça e William Nogueira São Paulo, Goiânia e Jundiaí

 

Texto com adaptações, retirado do Livro de Nancy Cajado Moncau: “ENS no Brasil – Ensaio sobre seu histórico” – Ed. Bandeira – 2000